Passaporte Rússia – Caminho nigeriano até a Copa

A estratégia é repetir a mesma campanha de 98, a melhor da história futebolista nigeriana até hoje

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o terceiro de sete textos sobre a Seleção Nigeriana.

Para chegar a sua sexta edição em Mundiais, as “Super-Águias” tiveram que provar suas habilidades para conquistar seu espaço junto às demais 31 seleções participantes a partir da segunda fase nas Eliminatórias Africanas.

Os nigerianos foram os primeiros a preencher a primeira das cinco vagas destinadas ao continente africano para a Copa do Mundo na Rússia, fazendo jus ao atributo de serem uma das seleções mais talentosas do futebol africano.

Resultado de imagem para seleção da nigéria atual
(Reprodução/Uol Esporte)

Passaporte Rússia – Caminho da Seleção da Nigéria até a Copa de 2018

A segunda fase teve início em novembro de 2015 e em poucos dias (de 9 a 17 de novembro) vinte das quarenta equipes seguiam para a etapa seguinte. Apenas dois duelos de ida e volta foram suficientes para decidir quais seleções continuariam na disputa.

No caso da Seleção da Nigéria, seu primeiro adversário nas Eliminatórias foi a Suazilândia e nos dois jogos de ida e volta garantiu sua classificação. E o melhor: sem tomar gols. Fora de casa placar de 0 x 0, e dentro placar de 2 x 0, com gols do atacante Moses Simon aos 51′ e do zagueiro Efe Ambrose aos 87′.

Efe Ambrose
Efe Ambrose (Reprodução/Rock City)

Na terceira fase das Eliminatórias, as seleções foram divididas em cinco grupos com quatro equipes cada. As Super-Águias ficaram no grupo B e em seis disputas conquistaram quatro vitórias, um empate e uma derrota.

No primeiro jogo contra a Seleção da Zâmbia, vitória por 2 x 1 com gols marcados pelos atacantes Alex Iwobi aos 32′ e Kelechi Iheanacho aos 42′.

Resultado de imagem para Kelechi Iheanacho
Kelechi Iheanacho (Reprodução/stuntfm.com)

Argélia foi a seleção que os nigerianos enfrentaram sua segunda partida e novamente ganharam. Placar de 3 x 1 com gols marcados pelo meia Obi Mikel aos 42′ e pelo zagueiro Victor Moses aos 25′ e nos dois minutos de acréscimo do segundo tempo.

Resultado de imagem para Obi Mikel
Obi Mikel (Reprodução/Ninety Minutes Online)
Resultado de imagem para Victor Moses
Victor Moses (Reprodução/Premium Times NG)

Terceiro jogo e terceira vitória seguida. Placar de 4 x o para a Seleção da Nigéria contra a dos Camarões. Gols marcados pelo meia Obi Mikel aos 42′ e pelo zagueiro Victor Moses aos 55′, e pelos atacantes Odion Ighalo aos 29′ e Kelechi Iheanacho aos 76′.

Resultado de imagem para Odion Ighalo
Odion Ighalo (Reprodução/Guardian NG)

A partir da quarta rodada, começam as partidas repetidas. Quarto jogo, contra a Seleção Camaronesa, empate por 1 x 1. Gol do Moses Simon aos 30′.

Resultado de imagem para Moses Simon
(Reprodução/The Breaking Times)

Penúltimo jogo contra a Seleção Zambiana e vitória em cima dela por 1 x 0. Gol de Alex Iwobi aos 73′.

Resultado de imagem para Alex Iwobi
Alex Iwobi (Reprodução/Goal.com)

Sexto e último jogo, a Seleção Nigeriana teve uma derrota administrativa por colocar em campo do meia Abdullahi Shehu irregular, que após ganhar dois cartões amarelos, deveria ficar de suspensão.

Mesmo perdendo os três pontos que poderia ter no placar geral, os nigerianos ficaram em primeiro lugar do seu grupo com uma diferença ainda de cinco pontos do segundo colocado.

A Copa do Mundo de 1998 foi considerada a de melhor campanha da Seleção Nigeriana por causa das características favoráveis e de grande durante os jogos: coletivo, técnica, habilidade e improviso. O que foi apresentado no Brasil será o estímulo para fazer na Rússia.

Sobre Beatriz do Vale

Beatriz do Vale já escreveu 9 posts nesse site..

Comunicativa desde pequena, optei por fazer Rádio e TV como primeira graduação e Jornalismo como segunda - ambas pela FIAM.Ser jornalista falou mais alto e investi bastante nesta área.Fiz Pós-graduação na Cásper Líbero, entre outros cursos de especialização. Sou repórter e neste momento busco me especializar no âmbito esportivo.Sou a Beatriz Alves do Vale, paulistana, 29 anos e não sou parente do Luciano do Valle, mas espero fazer o mesmo legado.

Comments

comments

Beatriz do Vale
Comunicativa desde pequena, optei por fazer Rádio e TV como primeira graduação e Jornalismo como segunda - ambas pela FIAM.Ser jornalista falou mais alto e investi bastante nesta área.Fiz Pós-graduação na Cásper Líbero, entre outros cursos de especialização. Sou repórter e neste momento busco me especializar no âmbito esportivo.Sou a Beatriz Alves do Vale, paulistana, 29 anos e não sou parente do Luciano do Valle, mas espero fazer o mesmo legado.

    Artigos Relacionados

    Topo