Paraná x Palmeiras – A expectativa precoce pode ofuscar incidentes incalculados

Cantar vitória antes da hora pode não ser a melhor decisão
Paraná x Palmeiras - A expectativa precoce pode ofuscar incidentes incalculados

De um lado, equipe paranista já rebaixada, de outro, equipe paulista preparada para erguer a taça. Com o Brasileirão chegando ao fim, os desfechos começam a se definir: Paraná cai para Série B e Cruzeiro carimbou o passaporte da Libertadores de 2019.

Mas, se ainda há chance, e principalmente se tratando de futebol, até o que parece improvável acontece. Portanto, a partida entre Paraná e Palmeiras pode atrasar ou reverter aquilo que muitos acreditam: Verdão decacampeão.

Até a tarde de ontem, sexta-feira (16), mais de 20 mil ingressos foram vendidos para o duelo deste domingo (18), que acontece a partir das 17h (horário de Brasília), no Estádio do Café, em Londrina.

PARANÁ

Sem qualquer pretensão desde a confirmação do rebaixamento para a Série B, a equipe de Dado Cavalcanti, além de ter que cumprir tabela, tem pela frente o desafio de encarar o líder do Campeonato Brasileiro com seis desfalques importantes: Andrey e Silvinho, expulsos na última rodada, o goleiro Richard e o volante Alex Santana, suspensos pelo terceiro amarelo, e o meia-atacante Rodrigo Carioca e o lateral-esquerdo Mansur, lesionados.

Por outro lado, os zagueiros Jesiel e Renê Santos, estão de volta à equipe e à disposição do técnico, que ainda tem dúvidas na escalação: Renê e Charles disputam uma posição na zaga, Raphael Alemão e Keslley no ataque, enquanto Alesson deve ganhar a vaga de Silvinho, e Rafael Grampola e Juninho mantidos como titulares.

O desempenho dos jogadores em campo nesta reta final tem sido de grande valia para o clube, como forma de avaliação de quem pode permanecer na próxima temporada, além de viabilizar aqueles que podem ainda ser revelados no Tricolor. Nos três confrontos após cair para a segunda divisão, o Paraná venceu, perdeu e empatou. Contra o América-MG, que venceu por 1 x 0 na última quarta-feira (14), atuou com dois jogadores a menos e sem passar sufoco.

“Temos que valorizar o comportamento. Fizemos um jogo horrível contra o Flamengo. Esse já é o terceiro jogo seguido que temos um comportamento digno, de uma equipe que luta, que não se abate e não se entrega. Sempre falei do aspecto emocional e isso não vem acontecendo mais. Foi contra o Vitória, o América-MG e hoje (quarta). Claro que não gostamos da derrota, mas os aspectos positivos eu procuro enaltecer e minha expectativa é que isso se repita”, disse Dado Cavalcanti.

Quem acredita que os três pontos em cima do Paraná estão garantidos, se engana. As últimas e boas atuações só deram mais confiança aos jogadores que, mesmo fora da Série A, ainda podem ter um papel de destaque no campeonato já que, além do líder, ainda enfrentam o atual vice-líder Internacional e podem comprometer o que, até então, é favorito.

https://www.instagram.com/p/Bp00POAAX-s/?utm_source=ig_web_copy_link

Provável Escalação: Thiago Rodrigues; Júnior, Renê Santos (Charles), Jesiel, Igor; Leandro Vilela, Torito González, Alesson ; Raphael Alemão (Keslley), Rafael Grampola e Juninho. Técnico: Dado Cavalcanti.

PALMEIRAS

Liderança isolada e o favorito a levantar a taça do Brasileirão pela décima vez, já são 19 jogos sem sofrer uma derrota. Mas independentemente deste cenário, qualquer um que esteja envolvido na equipe alviverde está proibido de cantar vitória antes da hora, sendo falando e/ou agindo como se já fosse o campeão, como forma de precaução sem desprezar chances de dificuldade no confronto.

“Se você perguntar, qualquer um está muito ansioso, é um título de campeão brasileiro. Mas temos de pensar jogo a jogo, não podemos comemorar nada antes porque não está nada ganho. Precisamos pensar que, contra o Paraná, será um grande jogo, uma final. Ganhando, tem mais quarta-feira contra o América ainda. Não podemos entrar no clima de já ganhou porque tem 11 jogadores do outro lado querendo uma vitória também”, disse o volante Thiago Santos.

Para amanhã, o técnico Felipão sinalizou mudanças na equipe em relação à rodada passada: Mayke, Gustavo Gómez, Diogo Barbosa, Thiago Santos e Borja devem ficar no banco em primeira instância. Com o desfalque confirmado do zagueiro Luan por cartões amarelos, Jean ou Marcos Rocha disputam uma vaga na direita. Já Edu Dracena e Antônio Carlos fazem a dupla de zaga, Victor Luiz na esquerda, e Deyverson deve comandar o ataque.

“Eu vinha fazendo isso. Eu vinha jogando dessa forma. Para o jogo do Paraná lá em Londrina nós vamos trocar no mínimo cinco ou seis jogadores de novo. Agora eu tenho tempo para não jogar quarta, domingo, quarta e domingo. Agora a gente pode organizar e ter o cuidado que temos que ter com lesões e cartões porque é reta final. Se eu posso fazer essa troca.”

https://www.instagram.com/p/BqSLYZmh5Kb/?utm_source=ig_web_copy_link

Provável Escalação: Weverton; Mayke (Marcos Rocha), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Thiago Santos (Felipe Melo), Bruno Henrique e Lucas Lima; Willian, Dudu e Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

RETROSPECTO

As equipes já se enfrentaram 19 vezes e, a maior parte delas quem levou a melhor foi a equipe alviverde com 12 vitórias contra cinco da paranista, sobrando dois empates. Do total de 67 gols, Palmeiras marcou 41 e Paraná 26.

Sobre Beatriz do Vale

Beatriz do Vale já escreveu 196 posts nesse site..

Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero.Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...

Beatriz do Vale
Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero.Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...

Artigos Relacionados

Topo