Nacional de Patos x CSP – Estreia do Paraibano

Estreia do Paraibano leva o litoral ao sertão, onda azulina chega em Patos nesta noite de sábado

Tem início neste sábado (12) a 109ª edição do Campeonato Paraibano de Futebol, que após desonrado por vexames recentes de corrupção, agora conta com nova administração da presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michelle Ramalho. O foco maior da competição é no restabelecimento da credibilidade do futebol local. O Nacional de Patos, do alto sertão da Paraíba, receberá o CSP, time da capital, no Estádio José Cavalcanti, em Patos, às 20h. O Nacional teve seu único título estadual em 2007 e apesar de ter garantido, no último ano, o acesso à 1ª divisão novamente, após anos turbulentos, sofreu para não cair de acesso no Paraibano.

Por outro lado, o CSP, depois de disputar quatro temporadas para o, enfim, acesso à elite do Campeonato Paraibano, este ano terá sua nona participação na Primeira Divisão do futebol estadual. Em 2018 chegou às quartas de final e foi eliminado pelo Serrano, pelo placar de 2×0, no agregado. O dono da casa pertence ao Grupo A – que ainda conta com Serrano-PB, Sousa, Botafogo-PB e Treze -, mas na primeira fase do estadual enfrentará apenas as equipes da Chave B – que, além do Tigre (CSP), tem também, Campinense, Esporte de Patos, Perilima e Atlético de Cajazeiras.

NACIONAL DE PATOS

Apesar de parecer tumultuada, a pré-temporada do Nacional foi encarada com normalidade pelo treinador Índio Ferreira. O clube alviverde foi o último time a apresentar elenco para início das atividades visando o Campeonato Paraibano, mas conta com novas caras que prometem reviravolta em 2019. Duas saídas do time e três novos reforços foram confirmados: saem o atacante Wagner Tanque e o meia Ramon e entram o zagueiro Márcio Paraíba, o meia Jairo e o atacante Isaías.

Márcio, experiente, de 34 anos, já defendeu as cores do Treze, Auto Esporte, Campinense, Mamoré, Cuiabá, etc. O meia armador de 30 anos, Jairo, teve sua base estruturada em clubes como o Santa Cruz, Palmeiras e Figueirense e no profissional defendeu a camisa do América-RN, Vitória da Conquista, CRB e até mesmo do Al-Salibikhaet, do Kwait. Entre 2014 e 2015 esteve a frente do Campinense e recentemente no Almirante Barroso (SC). Na linha de frente o time vai contar com o promissor Isaías, que já atuou pelo Auto Esporte e São Paulo Crystal.

“Ramon é um bom jogador, mas temos três meias na posição dele e ainda o Messinho, que é uma aposta grande e patrimônio do clube. Então ficar com cinco atletas em uma mesma posição com uma competição no ano para disputar é ser injusto até com o atleta. Então decidi liberar os dois para não atrapalhar a caminhada deles. O Wagner na mesma situação. Fui eu quem o trouxe, mas vi que ele teria poucas oportunidades e achei por bem liberar o atleta” , explica o novo técnico, Índio Ferreira.

Nacional de Patos esterei neste sábado no Campeonato Paraibano — Foto: Divulgação / Nacional de Patos

Provável Escalação:

Nilton; Romário, Carlão, Wesley e Marcelo Bispo; Mychell, Rico; Birungueta e Celinho; Isaías e Mosquito. Técnico: Índio Ferreira.

CSP (CENTRO SPORTIVO PARAIBANO)

Formado como um projeto de extensão da Universidade Federal da Paraíba, pelo professor Severino Ferreira, o clube CSP se tornou conhecido por revelar talentos. Nos amistosos recentes a equipe não mostrou superioridade, ao menos nos resultados, mas pela sequência de vários anos na elite do estadual, o time da capital agora anseia por uma vaga no Campeonato Brasileiro e, na perseguição desse objetivo, seu presidente Josivaldo Alves aposta no mantimento de jogadores da base.

Contudo, o Tigre não terá uma simples temporada, pois vai encarar o certame estadual que garante ser um dos mais árduos dos últimos anos. No mercado da bola, o time azulino resolveu recrutar alguns bons ex-jogadores do clube, entre eles os laterais Fábio e Igor, o meia Leandro Santos, o atacante Lúcio Curió, único reforço mais conhecido, e trouxe também o volante Senegal que atuava no Sport Recife.

CSP não deve ter vida fácil no Campeonato Paraibano de 2019

Provável Escalação:

Wallace, Igor, Felipe, Gilmar, Fábio; Geo, Senegal, Léo Silva, Leandro; Léo Alves e Lúcio Curió. Técnico: Tazinho

 

RETROSPECTO

O CSP nunca perdeu para o Nacional jogando em Patos. Ambos os times vêm de uma vitória cada no Campeonato Paraibano de 2018, a disputa é equilibrada. Na temporada passada, o Nacional perdeu em casa do CSP, por 2×0 e ganhou fora, por 2×1. Será que se manterá o favoritismo para o time que joga fora de casa? Em breve teremos respostas.

Sobre Raisa Guglielmi

Raisa Guglielmi já escreveu 16 posts nesse site..

Meu nome é Raisa Cavalcanti Guglielmi, 28 anos, nascida em Criciúma-SC e residente em João Pessoa-PB desde os 8 anos de idade. Bacharel em Física pela Universidade Federal da Paraíba, onde, na época, estudei na Universidade de Oslo (Noruega) por um ano. Ano passado, após uma grande repercussão de uma história de amor com o Cruzeiro Esporte Clube, em que vendi diversas coisas para ir à final da Copa do Brasil, no Mineirão, fui chamada para participar de um programa de futebol em uma TV local e, a partir daí, começou a despertar dentro de mim uma paixão pelo Jornalismo Esportivo, unindo ao fato de que jogava futebol desde criança, o que já me aproximava bastante dos esportes. Hoje sou estudante de jornalismo e a cada dia mais encantada pela área. Espero vir a somar à equipe e, principalmente, apoiar e dar visibilidade às minorias.

Raisa Guglielmi
Meu nome é Raisa Cavalcanti Guglielmi, 28 anos, nascida em Criciúma-SC e residente em João Pessoa-PB desde os 8 anos de idade. Bacharel em Física pela Universidade Federal da Paraíba, onde, na época, estudei na Universidade de Oslo (Noruega) por um ano. Ano passado, após uma grande repercussão de uma história de amor com o Cruzeiro Esporte Clube, em que vendi diversas coisas para ir à final da Copa do Brasil, no Mineirão, fui chamada para participar de um programa de futebol em uma TV local e, a partir daí, começou a despertar dentro de mim uma paixão pelo Jornalismo Esportivo, unindo ao fato de que jogava futebol desde criança, o que já me aproximava bastante dos esportes. Hoje sou estudante de jornalismo e a cada dia mais encantada pela área. Espero vir a somar à equipe e, principalmente, apoiar e dar visibilidade às minorias.

Artigos Relacionados

Topo