Mário Sérgio, show nos gramados e na TV

Mário Sérgio Pontes de Paiva mantém a língua afiada como comentarista do canal Fox Sport. Bem ao seu estilo, quando analisava futebol pela TV Bandeirantes em 1994, avisou que, com Dunga escalado como volante, a Seleção Brasileira entrava em campo com dez jogadores. “O Dunga perdeu a força para tomar a bola dos outros, e essa era a única coisa que sabia fazer”.

 Exagero ou não, Dunga levantou o caneco como capitão do Brasil, e nem por isso diminuiu a capacidade de observação de Mário Sérgio, um dos comentaristas esportivos que mais ‘saca’ futebol nesse país. E fala com autoridade de quem esteve no gramado e fazendo a bola rolar com brilhantismo.

 A história dele no futebol começou em 1969 no Flamengo, quando driblava e lançava. No Vitória da Bahia ganhou o apelido de Vesgo porque olhava de um lado e lançava para o outro, deixando companheiros na cara do gol. E isso foi se repetindo no Fluminense, Botafogo (RJ), São Paulo, Inter (RS), Ponte Preta, Grêmio e Palmeiras, sempre com a camisa 11 e desempenhando a função de falso ponteiro-esquerdo.

 Três passagens são marcantes na carreira dele. Em 1979, quando jogava no São Paulo, ganhou apelido de ‘rei do gatilho’ quando deu alguns tiros para o alto para assustar torcedores do São José, no Vale do Paraíba, que se manifestavam na saída da delegação são-paulina do Estádio Martins Pereira.

 No Grêmio portoalegrense foi campeão do mundo em 1983 na vitória por 2 a 1 sobre o Hamburgo, no Japão. Já no Palmeiras, foi flagrado em exame antidoping e ficou suspenso durante seis meses.

 Língua ferina, jamais deixou de falar aquilo que pensava, independente das consequências.

 Em 1983, contratado pela Ponte Preta, participou daquele time de medalhões montado pelo então presidente pontepretano Lauro de Moraes. Na ocasião, os técnicos Dudu, Nicanor de Carvalho, Tim e Cilinho não conseguiram extrair grande coisa com os talentosos Mário Sérgio, Dicá e Jorge Mendonça juntos.

 Mário Sérgio ainda se aventurou na carreira de treinador. Estudioso e bagagem assimilada no trabalho com bons treinadores recomendavam nova carreira brilhante, e isso ia se confirmando nas passagens por Corinthians e São Paulo. Entretanto, o perfil de comandante enérgico não permitiu que prosperasse na carreira, alongada alternadamente até 2010 no Ceará.

 Mário Sérgio não mandava recado. Dizia abertamente aquilo que pensava ao jogador e vários discordam dessa postura, resultando em rota de colisão.

 Na televisão, passou pela TV Bandeirantes, Sport TV – canal a cabo da Rede Globo, até integrar a equipe esportiva do canal Fox Sport, onde dá show.

Ariovaldo Izac

Sobre Ariovaldo Izac

Ariovaldo Izac já escreveu 52 posts nesse site..

O portal Futebol na Veia passa a inserir em sua grade de conteúdos a coluna de futebol Reminiscências assinada pelo jornalista Ariovaldo Izac, com 38 anos de militância no jornalismo. O foco é abordagem sobre jogadores do passado, principalmente aqueles que mais se destacaram.

Please follow and like us:
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram

Comments

comments

Ariovaldo Izac
Ariovaldo Izac
O portal Futebol na Veia passa a inserir em sua grade de conteúdos a coluna de futebol Reminiscências assinada pelo jornalista Ariovaldo Izac, com 38 anos de militância no jornalismo. O foco é abordagem sobre jogadores do passado, principalmente aqueles que mais se destacaram.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Topo