Entre safra ou renovação?

Nesta semana duas bombas atingiram o noticiário futebolístico. Foram as demissões de Ricardo Gomes do São Paulo e Marcelo Oliveira do Atlético Mineiro – este último em plena disputa da final da Copa do Brasil. Ambos são treinadores consagrados que foram demitidos faltando apenas 10 dias para o fim da temporada. Isso mostra mais uma vez o quanto continua amadora a direção dos clubes brasileiros que tomam decisões intempestivas quase sempre baseadas no imediatismo a despeito de qualquer planejamento existente. Consequência disso, ano após ano, assistimos os times que tiveram um mínimo de planejamento disputando títulos enquanto os demais se desesperam na parte inferior da tabela. Nos chama a atenção também o abismo entre a grandeza dos clubes e a pequenez da maioria dos seus dirigentes.

Mas se a direção política continua na mesma não podemos dizer que continua igual à situação dos treinadores. A demissão de dois veteranos para chegada de duas promessas não são obra do acaso e é isso que quero destacar. Observando os dois últimos campeonatos brasileiros constatamos uma geração de treinadores vencedores serem demitidos e encontrando dificuldade para conseguir um novo emprego como Falcão, Celso Roth, Luxemburgo, Leão, Abel e Parreira, entre outros, que representaram muito ao nosso futebol, quando este dominou o planeta, mas que sobe o comando de Scolari (outro expoente dessa geração) culminou no vergonhoso 7 a 1, pois não conseguiram acompanhar as mudanças táticas e técnicas iniciadas pelo Barcelona da década passada.

Enquanto isso, uma nova geração de treinadores com perfil bem distinto dos surgiu capitaneada por Zé Ricardo, Jair Ventura, Roger e Eduardo Batista.

Essa bossa nova de treinadores, assim como os torcedores, fincam os pés no futebol nacional, mas tem a cabeça voltada para os grandes clubes da Europa, atual centro hegemônico do futebol. Hegemonia fruto do reinventado futebol canarinho de 82, como o próprio Pepe Guardiola admite.

O clássico 4-4-2 com o ‘coração na ponta da chuteira’ baseado na qualidade individual de um país que sempre revela novos craques vai gradativamente sendo substituído pelos conceitos de compactação, falso 9, triangulações, transição rápida, jogadores de múltipla função e troca constante de posição que compõem o vocabulário desta nova geração muito mais antenada nas tecnologias e no ritmo alucinado do futebol moderno.

Essa transição está muito bem sedimentada em dois treinadores que conseguem unir bem essas duas gerações: Tite e Cuca. Não é à toa que estamos falando do atual campeão brasileiro e do provável futuro campeão brasileiro. Ambos possuem um sistema de treinamento moderno, que acompanha o que ocorre nos principais clubes da Europa, somando a experiência de terem trabalhado junto e enfrentado esses grandes treinadores vencedores, que tratei no começo da matéria.

Sem os grandes craques que são vendidos cada vez mais novos para outros países é fundamental que o treinador brasileiro moderno saiba unir as qualidades físicas, técnicas e culturais do jogador brasileiro com os novos métodos de treinamento repensadas reconstruídas na Europa pelos treinadores dos grandes clubes – que evidentemente possuem recursos materiais e humanos muito maiores para isso. Ainda não podemos prever qual o futuro dessa nova safra, mas alguns trabalhos têm mostrado que essa união é possível, é só lembrar o que Rogério Micale fez na seleção Olímpica e Tite fez no Corinthians e faz na principal. Ali foi plantada uma semente do que pode ser um futuro promissor do futebol brasileiro.

Sobre Renato Melhem

Renato Melhem já escreveu 51 posts nesse site..

Renato Melhem é comentarista esportivo da TV Cidade e da rádio Nova Difusora AM de Osasco. Escreve também no Blog O NOSSO FUTEBOL - www.onossofutebol.comFormado em Arquitetura e Urbanismo é Conselheiro do CAU/SP.

Renato Melhem
Renato Melhem é comentarista esportivo da TV Cidade e da rádio Nova Difusora AM de Osasco. Escreve também no Blog O NOSSO FUTEBOL - www.onossofutebol.comFormado em Arquitetura e Urbanismo é Conselheiro do CAU/SP.
http://www.onossofutebol.com

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Topo