Ciao, Juve!

Ida de Cristiano Ronaldo para Turim finaliza um ciclo vitorioso e rentável para os merengues
Jornal português concretiza adeus de Cristiano Ronaldo ao Real Madrid

A vitoriosa e impressionante passagem de Cristiano Ronaldo por Madri chegou ao fim nesta terça-feira. A Juventus anunciou a contratação do atual melhor jogador do mundo. Os valores da transação não foram oficialmente divulgados, mas o jornal espanhol Marca diz que a Juve desembolsou 105 milhões de euros para tirar o gajo do Real Madrid. Desde 2009 na Espanha, CR7 foi protagonista de um ciclo vitorioso e extremamente rentável aos merengues.

Contratado junto ao Manchester United por 94 milhões de euros, Cristiano desembarcou na Espanha ostentando um título de Liga dos Campeões e uma bola de ouro. De lá para cá, ao longo de 3.291 dias, conquistou outras quatro “orelhudas” e mais quatro prêmios de melhor do mundo. Durante nove anos, o craque português se tornou o maior artilheiro da história do clube. Em 438 jogos, marcou 450 gols, o que resulta em uma impressionante média de 1,02 gols por partida. Foi vestindo a camisa merengue que se tornou o maior artilheiro do mais importante torneio de clubes do planeta.

Os números de Cristiano Ronaldo falam por si só e são o principal motivo pelo qual seu valor de mercado se manteve e, neste caso, até aumentou. Aos 24 anos, pagar algo entre 94 e 105 milhões de euros já seria questionável, mesmo considerando a hiperinflação do mercado de transferências europeu. Contudo, em fevereiro de 2019, o camisa 7 completará 34 anos, o que torna ainda mais relevante uma transferência nestes valores.

Mas hoje, até que se prove o contrário, Cristiano vale o investimento. Sedento por recordes, o português é meticuloso, superpreocupado com seus condicionamento físico. É exatamente por isso que, excetuando as vezes em que sofreu com problemas no joelho, não sofre com lesões musculares. Contra a Espanha, na estreia de Portugal nesta Copa do Mundo, o capitão lusitano atingiu os 33,98 km/h em uma arrancada, se tornando o jogador mais rápido do Mundial.

Ronaldo trocou Madrid por Turim por novos objetivos. A Juventus, já dominante em território italiano, sobe um patamar no continente. Se em edições passadas a Liga dos Campeões escapou por detalhe, com um artilheiro nato no comando do ataque, os torcedores da Velha Senhora têm motivo para acreditar na conquista de um campeonato que não vem desde a temporada 1995-96, quando o time contava com Didier Deschamps, Antonio Conte e Del Piero entre os titulares.

@cristiano #CR7JUVE

A post shared by Juventus Football Club (@juventus) on

Me compreendam

Em carta divulgada pelo Real Madrid, Cristiano Ronaldo agradeceu pelos ”nove anos únicos” em que vestiu a camisa madridista. Ele pediu, ainda, que os seguidores compreendessem sua decisão. Confira, abaixo, a íntegra do texto.

“Estes anos no Real Madrid, e nesta cidade de Madrid, foram possivelmente os mais felizes da minha vida.

Só tenho sentimentos de enorme gratidão por este clube, por esta torcida e por esta cidade. Só posso agradecer a todos pelo amor e carinho que recebi.

No entanto, acredito que chegou a hora de começar uma nova etapa em minha vida e é por isso que pedi ao clube que aceitasse me transferir. Eu me sinto assim e peço a todos, especialmente aos nossos seguidores, que me compreendam.

Foram 9 anos absolutamente maravilhosos. Eles foram 9 anos únicos. Foi um tempo emocionante para mim, cheio de consideração, mas também difícil, porque o Real Madrid é de uma exigência altíssima, mas sei muito bem que nunca vou esquecer que disfrutei do futebol aqui de uma forma única.

Eu tive companheiros de equipe fabulosos no campo e no vestiário, senti o calor de uma torcida incrível e juntos ganhamos 3 Champions seguidas e 4 Champions em 5 anos. E com eles também, em nível individual, tenho a satisfação de ter ganho 4 Bolas de Ouro e 3 Chuteiras de Ouro. Tudo durante meu tempo neste imenso e extraordinário clube.

O Real Madrid conquistou meu coração e o da minha família, e é por isso que, mais do que nunca, quero agradecer: agradecer ao clube, ao presidente, aos diretores, aos meus colegas, a todos os técnicos, médicos, fisioterapeutas e trabalhadores incríveis que fazem tudo funcionar e que estão cientes de cada detalhe incansavelmente.

Obrigado infinitamente mais uma vez aos nossos fãs e obrigado também ao futebol espanhol. Durante estes 9 anos apaixonantes, enfrentei grandes jogadores. Meu respeito e meu reconhecimento por todos eles.

Eu refleti muito e sei que chegou a hora de um novo ciclo. Estou saindo, mas seguirei sentindo que esta camisa, este escudo e o Santiago Bernabéu são sempre meus, onde quer que eu esteja.

Obrigado a todos e, claro, como eu disse a primeira vez em nosso estádio há 9 anos: Hala Madrid!”

Sobre André Siqueira Cardoso

André Siqueira Cardoso já escreveu 261 posts nesse site..

Sou André Siqueira Cardoso, tenho 20 anos, e curso Jornalismo na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, USP. Sempre fui apaixonado por esportes e tenho o sonho de ser um jornalista que trabalhe na área esportiva, seja como comentarista, repórter ou apresentador. Aprecio uma boa partida de futebol, independentemente das equipes que estejam se enfrentando. Possuo um blog, no qual escrevo textos para expor minhas opiniões acerca de tudo o que acontece no futebol. Dentro do jornalismo, admiro e me espelho em nomes como Paulo Vinícius Coelho, Juca Kfouri, Thiago Leifert, Alexandre Praetzel e André Rizek.

Please follow and like us:
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram

Comments

comments

André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 20 anos, e curso Jornalismo na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, USP. Sempre fui apaixonado por esportes e tenho o sonho de ser um jornalista que trabalhe na área esportiva, seja como comentarista, repórter ou apresentador. Aprecio uma boa partida de futebol, independentemente das equipes que estejam se enfrentando. Possuo um blog, no qual escrevo textos para expor minhas opiniões acerca de tudo o que acontece no futebol. Dentro do jornalismo, admiro e me espelho em nomes como Paulo Vinícius Coelho, Juca Kfouri, Thiago Leifert, Alexandre Praetzel e André Rizek.

Artigos Relacionados

Topo