Avaí vence e entra no G4; Ponte goleia fora de casa

Duas partidas abriram a 20ª rodada da Série B
Brasileirão Série B

Avaí e Vila Nova se enfrentaram no estádio da Ressacada, em partida válida pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Com o apoio de sua torcida, os donos da casa fizeram valer o mando de campo e conseguiram uma importante vitória, que veio com um gol de Rodrigão, aos 34 minutos do segundo tempo.

BRASILEIRÃO SÉRIE B – 20ª RODADA

Avaí x Vila Nova

1º TEMPO

A partida começou movimentada, com chance para os dois lados. Mas foram os visitantes que tiveram a primeira oportunidade. Aos seis minutos, em cobrança de escanteio, Alan Mineiro mandou rasteiro para dentro da área e Mateus Anderson finalizou de primeira. A bola sobrou para Wesley Matos, mas a marcação conseguiu afastar o perigo.

A resposta do Avaí veio logo depois, aos 9 minutos. Marquinhos fez um ótimo lançamento para Renato, que bateu de primeira e viu  a bola explodir na trave. Quase um golaço. O Avaí começou a gostar do jogo. Aos 13 minutos, depois de interceptar um passe, Capa avançou e cruzou para área e Rodrigão cabeceou com perigo. A bola passou perto da trave.

Avaí x Vila Nova (Divulgação/Jamira Furlani/Avai)

O Vila não ficou para trás. Vinicius Leite recebeu passe pela esquerda e limpou a marcação para finalizar. A bola passou pertinho da trave e saiu pela linha de fundo. Já aos 24 minutos, o veterano Marquinhos, de volta ao time titular, teve uma grande chance. Após receber um passe de cabeça, o meia finalizou, também de cabeça, para a ótima defesa de Mateus Pasinato. No rebote, Luanzinho tentou vencer o goleiro, mas ele salvou novamente a meta alvi-rubra.

Depois de uma metade de primeiro tempo mais agitada, o jogo ficou morno. As equipes foram para o intervalo sem nenhuma alteração no placar.

2º TEMPO

Em busca de um bom resultado fora de casa, o técnico Hemerson Maria promoveu duas mudanças na equipe do Vila Nova logo no começo da segunda etapa, porém, foi o Avaí que deu o primeiro susto. Aos 16 minutos, André Moritz finalizou de fora da área e a bola passou perto da trave.

Aos 19 minutos, em jogada bem trabalhada pelo ataque do Tigre, Alan Mineiro recebeu e bateu colocado, de fora da área. Aranha fez uma excelente defesa, deu rebote, mas o ataque do Vila não aproveitou.

Aos 21 minutos, por pouco, Luanzinho não fez uma pintura. O meia aproveitou a sobra na entrada da grande área e deu um belo voleio, obrigando o goleiro Mateus Pasinato a espalmar, salvando novamente o Tigre.

Depois de tanta insistência, o Avaí foi recompensado. Aos 34 minutos, o artilheiro Rodrigão conseguiu vencer o goleiro adversário. Guga cobrou escanteio na medida e o atacante subiu livre para abrir o placar.

Rodrigão (Divulgação/Jamira Furlani/Avai)

Atrás no placar, o Vila Nova ainda tentou arrancar um empate longe de casa, mas a equipe pecava no último lance. O Avaí conseguiu segurar o resultado, entrou no G-4 e ainda quebrou um jejum que durava dois meses sem vencer na Ressacada. Por outro lado, O Vila segue oscilando, o que dificulta o objetivo da equipe. Nas últimas cinco partidas, foram três derrotas, um empate e uma vitória.

Paysandu x Ponte Preta

Em jogo de muitos gols, Macaca bate o Papão e mantém o bom retrospecto fora de casa. A partida, válida pela 20ª rodada da Série B, foi realizada nesta terça-feira na Curuzu.

Com a vitória, a Ponte Preta se aproxima da parte de cima da tabela; por outro lado, o Paysandu se vê ameaçado e pode perder algumas posições até o fim da rodada. A partida foi marcada pela objetividade da Ponte e a falta de pontaria do Papão.

1º Tempo

Com um início bem agitado, o torcedor já poderia imaginar que a partida reservava fortes emoções. Em 10 minutos, o árbitro já havia distribuído três cartões amarelos, dois para o lado alvinegro e um para o lado azulino. Entretanto, não foi apenas a marcação pesada e o jogo pegado que caracterizaram esse início. Nos primeiros 15 minutos, os donos da casa foram para cima e chegaram perto de marcar por três vezes.

Paysandu x Ponte Preta (Reprodução/GE)

Logo aos 5 minutos, Pedro Carmona cobrou uma falta com muita categoria e viu a bola tirar tinta da trave. Foi por pouco. Do mesmo modo, aos 12 minutos, Pedro Carmona teve mais uma chance de bola parada. O meia ajeitou a bola com carinho, bateu colocado e, novamente, a viu passar perto da meta adversária. Aos 15 minutos, em outra bola parada, agora de escanteio, Carmona cruzou na área e Renato Augusto cabeceou firme. A bola explodiu na trave.

A conhecida expressão “quem não faz leva” voltou a ser experimentada um minuto depois. Nathan aproveitou a sobra de bola e chutou de fora da área para abrir o placar. A bola morreu no cantinho do gol.

Após sofrer o gol, o Papão voltou a atacar, mas não conseguiu finalizar as oportunidades com exatidão. A falta de efetividade voltou a punir a equipe de Belém aos 34 minutos. André Luis invadiu a área e rolou a bola pra Júnior Santos, que finalizou de primeira, no alto, sem chances para o goleiro. O placar já marcava 2 x 0 para os visitantes. Apesar de maior volume de jogo, a torcida bicolor não poupou o time das críticas.

2º Tempo

Buscando diminuir a desvantagem no placar, o técnico Guilherme promoveu a entrada de Lúcio Flávio no lugar de Claudinho. O jogo começou com o Paysandu mantendo a posse de bola, mas com dificuldades de chegar na área adversária.

Aos 3 minutos, a Ponte jogou um balde de água fria numa possível reação do Papão. Após cruzamento de Danilo Barcelos, o atacante Júnior Santos desviou para o fundo das redes, marcando seu segundo gol na partida e terceiro da Macaca.

Júnior Santos (Divulgação/Fernando Torres/Paysandu)

Enquanto a torcida bicolor protestava nas arquibancadas, com gritos de “Vergonha, time sem vergonha”, dentro de campo a equipe não se encontrava. Depois do terceiro gol, o Paysandu acusou o golpe e se mostrou totalmente rendido. Apesar de ainda haver muito tempo de jogo pela frente.

Aos 16 minutos, Danilo Barcelos levantou na área, a defesa do Paysandu não conseguiu afastar e a bola sobrou com Hyuri, que tirou do goleiro e ampliou o placar.

A Ponte dominou o restante do jogo, mantendo a posse de bola e criando outras chances de gol. No último lance da partida, em um contra-ataque muito rápido, Ruan perdeu uma chance incrível. Eram três jogadores da Ponte contra apenas um do Paysandu, todos poderiam ter definido a jogada, mas após tabela de Ruan com Neto Costa, o lateral recebeu e bateu para fora.

Com a vitória, a Ponte chegou aos 29 pontos e assumiu momentaneamente a 6ª posição. Enquanto isso o Paysandu estaciona nos 24 pontos, podendo perder posições e terminar a rodada próximo à zona de rebaixamento.

David Cardoso

Sobre David Cardoso

David Cardoso já escreveu 18 posts nesse site..

Meu nome é David Cardoso, alagoano de 26 anos. Sou Jornalista, graduado pela Universidade Federal de Alagoas. Como jornalista, sou apaixonado pela escrita; como brasileiro, apaixonado por futebol. A história com o futebol já vem de berço: um time para torcer e uma bagagem repleta de histórias emocionantes pelas partidas que o acompanhei. Vitórias, alegrias, derrotas e decepções. Porém, escrever sobre futebol é diferente. É necessário trocar o clubismo pela imparcialidade. Trocar a emoção de torcedor pela razão do profissional. Um verdadeiro desafio. Um desafio fascinante que revela que mesmo na rivalidade, todos nós, torcedores, temos algo que nos une: a paixão pelo futebol.

Please follow and like us:
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram

Comments

comments

David Cardoso
David Cardoso
Meu nome é David Cardoso, alagoano de 26 anos. Sou Jornalista, graduado pela Universidade Federal de Alagoas. Como jornalista, sou apaixonado pela escrita; como brasileiro, apaixonado por futebol. A história com o futebol já vem de berço: um time para torcer e uma bagagem repleta de histórias emocionantes pelas partidas que o acompanhei. Vitórias, alegrias, derrotas e decepções. Porém, escrever sobre futebol é diferente. É necessário trocar o clubismo pela imparcialidade. Trocar a emoção de torcedor pela razão do profissional. Um verdadeiro desafio. Um desafio fascinante que revela que mesmo na rivalidade, todos nós, torcedores, temos algo que nos une: a paixão pelo futebol.

Artigos Relacionados

Topo