A gana, a burrice e os percalços de uma carreira

Santos faz sondagem por Ganso, mas valores são inacessíveis; meia seguirá encostado na Espanha?

O Santos fez uma segunda consulta para tentar repatriar Paulo Henrique Ganso, encostado no Sevilla, da Espanha. Segundo informações do UOL Esporte, o estafe do jogador disse à direção paulista que o meia quer um salário mensal de 750 mil reais. Além disso, teria pedido um valor considerável de luvas. Tudo isso torna o articulador uma contratação inviável. Mas representa, acima de tudo, a gana de um atleta que parece fracassar, a burrice de uma diretoria e os percalços de uma carreira combalida por lesões.

Na Espanha, Ganso nunca foi uma unanimidade. Aliás, sempre esteve longe de ser aceito. O principal motivo é a incompatibilidade entre sua principal característica dentro de campo – o jogo cerebral, porém lento – e o dinamismo do futebol europeu. Entre altos e baixos, viveu de lampejos. Nesta temporada, aliás, até se destacou em algumas oportunidades, mas foi cortado da lista de inscritos do Sevilla para o mata-mata da Liga dos Campeões.

https://twitter.com/futtmais/status/966717409431257092?s=19

O clube espanhol tenta recuperar parte do investimento feito – Ganso foi comprado junto ao São Paulo por 9,5 milhões de euros. Mas, por conta da falta de oportunidades, o meia perdeu valor. Por isso, seu estafe acenou com a possibilidade do atleta abrir mão de todo o valor a ser recebido até o final do contrato, que vai até junho de 2021. Até este período, o atual camisa 19 tem aproximadamente 14 milhões de euros (R$ 56 milhões) a embolsar. Não houve acordo.

Ganso e as pessoas que o cercam, contudo, não desistem. Seguem pedindo um salário acima da realidade brasileira. Desconsideram o iminente fracasso. Mantêm a postura irredutível por ver que os clubes nacionais seguem implorando por um jogador diferenciado. É aí que entra o Peixe e a burrice de sua diretoria.

A saída de Lucas Lima era uma certeza desde junho do ano passado. Por um semestre, a torcida santista teve que aturar um jogador preguiçoso, apático e moribundo dentro de campo. Os cartolas, porém, não tiveram a capacidade de se organizar. O camisa 20 saiu e ninguém foi contratado. Por falta de dinheiro, é verdade. Mas, também, por não saber aproveitar oportunidades de negócio. Então, a passividade das gestões de Modesto Roma Júnior e José Carlos Peres deixaram no Santos Jean Mota e companhia. E, diante dos fracassos, como contra o Grêmio, a torcida cobra, com razão, a vinda de um organizador.

Ganso não será esta pessoa. O Peixe ofereceu 450 mil reais por mês ao jogador, que negou. Mas seus empresários não se importam com isso. Ao contrário, alegam que há clubes brasileiros dispostos a pagar o que Paulo Henrique pede. Caso seja um blefe daqueles dados na incessante busca por valorização, o meia que já foi apontado como superior a Neymar seguirá encostado no Sevilla ganhando seu nababesco salário de aproximadamente 620 mil reais.

A carreira de Ganso parece ter sido combalida por suas lesões no joelho. Mas sua ganância não o ajuda.

Os percalços pelo caminho são cada vez maiores.

Paulo Henrique já tem 28 anos.

O tempo urge.

André Siqueira Cardoso

Sobre André Siqueira Cardoso

André Siqueira Cardoso já escreveu 286 posts nesse site..

Sou André Siqueira Cardoso, tenho 20 anos, e curso Jornalismo na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, USP. Sempre fui apaixonado por esportes e tenho o sonho de ser um jornalista que trabalhe na área esportiva, seja como comentarista, repórter ou apresentador. Aprecio uma boa partida de futebol, independentemente das equipes que estejam se enfrentando. Possuo um blog, no qual escrevo textos para expor minhas opiniões acerca de tudo o que acontece no futebol. Dentro do jornalismo, admiro e me espelho em nomes como Paulo Vinícius Coelho, Juca Kfouri, Thiago Leifert, Alexandre Praetzel e André Rizek.

Please follow and like us:
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram

Comments

comments

André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 20 anos, e curso Jornalismo na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, USP. Sempre fui apaixonado por esportes e tenho o sonho de ser um jornalista que trabalhe na área esportiva, seja como comentarista, repórter ou apresentador. Aprecio uma boa partida de futebol, independentemente das equipes que estejam se enfrentando. Possuo um blog, no qual escrevo textos para expor minhas opiniões acerca de tudo o que acontece no futebol. Dentro do jornalismo, admiro e me espelho em nomes como Paulo Vinícius Coelho, Juca Kfouri, Thiago Leifert, Alexandre Praetzel e André Rizek.

Artigos Relacionados

Topo